ES HOJE

 
Vitória, ES.
Colunistas
Oferecimento:

Jeito de mãe

colunista

Grazieli Esposti é jornalista e especialista em Comunicação Estratégica e Gestão da Imagem. Mas sua maior realização é sem dúvida a maternidade. Mãe do Bernardo, 5, e do Henrique, 2, ela vai dividir em sua coluna um pouco das dores e delícias de ser mãe, tudo com muita opinião, sinceridade, respeito, fé e bom humor. Sugestões: jeitodemae@eshoje.com.br / Instagram: @grazieliesposti

     
           

Ano novo, vida nova. Vamos lá!

                       
                             

           
Foto: Divulgação
Divulgação
O Natal já passou e logo 2016 também se despedirá. E como este é nosso último bate-papo deste ano, pensei muito em qual tema abordar. Foi então que na correria peculiar desta época e com os últimos acontecimentos da minha vida, pessoal e profissional, veio o estalo. O que eu pretendo para 2017? E o que farei para realizar meu planejamento? Aquele bom e velho clichê de que um novo ano se aproxima e com ele 365 novas oportunidades de fazer diferente me caiu como uma luva. Sendo assim, te convido a junto comigo fazer uma reflexão sobre sua vida, seu trabalho, relacionamento, maternagem e pensar o que pode fazer de melhor, o que vale manter, o que é necessário mudar.
 
colunistaVou falar um pouco de mim, das minhas conclusões, mas peço que faça a análise pensando nas suas necessidades. E como nossa pauta é maternidade, vou citar alguns objetivos e exemplos que envolvem este assunto. Vamos lá? Para este próximo ano defini que quero focar no meu lado profissional e na minha carreira, pois até então eu tinha uma meta a cumprir comigo e com meus filhos. Depois que tive os dois, corri atrás de um sonho, que também se tornou uma necessidade pra mim, que era trabalhar em casa e ter mais tempo com eles. Prometi que enquanto meu mais novo não se curasse da alergia a proteína do leite de vaca (APLV) e não tivesse alcançado certa autonomia, minha prioridade seria eles. Acompanhar bem de perto a saúde, educação e o desenvolvimento como um todo.
 
Graças a Deus esse ano conquistamos a cura do Henrique e ele está cada dia mais independente, enquanto o Bernardo já me demonstra os próximos desafios que terei pela frente. De qualquer forma, mesmo aos trancos e barrancos, consegui o que eu queria e então me sinto pronta e com vontade de querer mais.
 
ano novo vida novaEsses mais de três anos não foram fáceis, porque trabalhar em casa não é moleza como muitos imaginam. Na maioria das vezes, para conseguir ficar com eles e dar conta das funções de mãe e do lar, precisei protelar o trabalho ou fazer a noite, depois que eles dormissem. Possivelmente eu também gostaria de estar dormindo como eles ou fazendo nada. Doce ilusão. Outra situação que acontece muito com quem presta serviço e não tem horário ou dia de trabalho é exatamente isso, não ter horário, nem dia para trabalhar.
 
A demanda do cliente pode surgir a qualquer momento, férias não existem, não sei o que é isso. Sabe um sonho? Postar nas mídias sociais uma imagem bem linda e em letras garrafais com a palavra “FÉRIAS”. Ai que vontade de poder desligar meu celular e não precisar olhar o e-mail pelo menos um dia. Não ter esse direito ou ficar muito tempo sem ele, como no meu caso, é cansativo, desgastante. O corpo sente, a cabeça também e logo os sinais aparecem na saúde e na vida. E não pensem que estou reclamando, não mesmo, agradeço todos os dias por ter conseguido fazer desse jeito.
 
ano novo vida novaLutei por isso e batalhei para conseguir, mas agora cansei, não quero mais. Foi necessário e importante para mim por todo esse tempo. Mas passou. Para este ano, desejo uma melhor organização do meu tempo e da minha vida, uma rotina mais definida. Eu quero dia e horário de ir na academia. Quero agenda. Quero dia de fazer unha, cansei de sair perambulando na rua em busca de um salão que tivesse uma vaga. Se achasse, fazia. Caso contrário, paciência. Talvez tenha um pouco menos de tempo com meus filhos, mas não quero mais que no meio de uma brincadeira meu telefone toque e eu tenha que parar e tentar explicar os motivos de não poder mais brincar, sem sucesso com certeza.
 
De vez em quando tudo bem, acontece com todo mundo, mas aqui é sempre. Filhos quebrando a casa e você no telefone trancada num cômodo mais distante resolvendo um problemão tranquilamente, como se nada estivesse acontecendo e você estivesse na paz de seu escritório de frente para o mar. Eu quero que eles saibam quando estou trabalhando e quando não estou. É preciso existir esta diferença, esta definição. Dias desses, saindo para ir à praia, planejando ficar duas horas para cansar a galera que está de férias, recebi uma demanda. Aí pra não frustrar a família toda, fui assim mesmo e pelo celular, fiquei resolvendo. Ou seja, eu estava lá, mas não estava lá, entendeu?
 
ano novo vida novaInclusive, quando entrávamos no carro, a faxineira do prédio nos apresentou a moça que iria substituí-la durante suas férias e meu filho simplesmente virou para ela e disse: “minha mãe não tem férias, ela trabalha o tempo todo”. Ela riu e brincou: “nossa, agora eu fiquei com peninha dela”. E num outro dia ele soltou outra: “você tem que falar para eles que nós todos estamos de férias e que você também quer”. E aí, está bom pra você? Para mim não está, não mais. E essa é minha realidade diária por aqui.
 
Então, para 2017 eu peço além de paz, saúde e muito amor, organização e rotina. É disso que vou correr atrás, pois sei que preciso, me fará mais feliz e a todos a minha volta. Tenho um plano para isso, que pode demorar um pouco, mas vou a luta. E claro, amanhã posso mudar de ideia e querer voltar atrás, porque a vida é assim, em movimento, e o mundo gira sem parar e nossas opiniões e necessidades também se modificam. Mas e você, já pensou no quer para o ano que vem e o que fará para conseguir? Arregaça as mangas, menina! Corre atrás, se afasta do que não está te fazendo bem e bola pra frente. Até a próxima!
           Publicado em   |   Tags   |   Deixe um Comentário
               

Comentários

               

O ESHOJE não publicará comentários ofensivos, obscenos, racistas, que estimulem a violência, sejam contra a lei ou não correspondam ao assunto da reportagem. Consulte nossa Política de Privacidade.

               
                                                               
                       
  •                    
  •                    
  •                    
  •                                                                                            
  •                                        
  •                
               
               

0 comentários publicados

           

Aniversário tem que ter festa

                       
                             

           
Foto: Grazi Esposti
Grazi Esposti
Ontem meu filho mais velho completou 6 anos. Foi dia de agradecer a papai do céu por ter confiado a mim a missão de conduzir uma vida. Dia de relembrar desde o momento da descoberta da gravidez até a hora de seu nascimento. Eu sempre fui nostálgica, faz parte da minha personalidade e nos meus aniversários sempre faço uma reflexão da minha vida e depois que tive filhos, passei a fazer isso no dia deles também. Mas além de tudo isso, ontem foi dia festa, de bolo, de assoprar vela e de parabéns!

Apesar de ter comemorado o aniversário dele e do mais novo na festa que fizemos para o papai, cada um ganhou bolinho em casa exatamente no dia que vieram ao mundo, mais uma mania da mamãe aqui. Tem que ser no dia, faça chuva ou faça sol. Já me disseram que gosto muito de festa, que sou animada demais. Tudo música para meus ouvidos, pois amo mesmo é de filho, então não meço esforços. Posso adentrar a madrugada fazendo o bolo do jeitinho que o filho pediu (ou pelo menos quase!). Olheiras até o pescoço, mas realizada e feliz.

Eu achava que era coisa minha dar tanta importância a esse rito de passagem, mas recentemente constatei que além de desenvolver a socialização, a comemoração do aniversário tem um importante significado para as crianças. Era o que eu precisava, ninguém me segura mais. Você sabia que os pequenos só entendem que cresceram quando fazem aniversário e cantam parabéns? Recentemente conversei com uma psicóloga sobre este assunto e ela me explicou que é através da festa que entendem que mudaram de idade e que ficaram mais velhos. O ritual da comemoração delimita a troca de idade e só assim eles “crescem”. E a partir disto, você pode, inclusive, confiar novas responsabilidades. Eu, por exemplo, já fiz alguns combinados a partir de hoje com meu filho, pois agora ele já tem 6 anos.

aniversários do filhos de GraziSendo assim, não adianta trocar a festa por presentes ou uma viagem, mesmo que seja a dos sonhos. É possível que seu filho não entenda que ficou mais velho, justamente porque não comemorou. Não foi nem uma, nem duas vezes que fui questionada pelos meus sobre a festa de um adulto ao falar que era aniversário de fulano e tentar explicar que não teria festa. Não conseguiram entender como ficar mais velho sem fazer “aniversário”. Puxa pela memória se você nunca vivenciou esta situação? Claro, que com a idade, vão entender. Enquanto isso não acontece, seguirei usando este motivo a mais para comemorar. Como se eu precisasse...

Aí você pode pensar, mas fazer festa é caro, dá trabalho. Depende, não estou falando de festa ostentação, um bolo com uma vela, família e amigos mais próximos já basta pra eles, pode ter certeza. Inclusive aproveitam muito mais, posso garantir. Eu particularmente amo festa assim, poucas pessoas, todos à vontade e o foco principal na diversão do aniversariante, que precisa terminar a comemoração exausto e feliz. Aqui também adoram ajudar, então que tal deixá-los colocar a mão na massa? O importante é todo mundo se divertir e a data não passar em branco. Até a próxima!
           Publicado em   |   Tags   |   Deixe um Comentário
               

Comentários

               

O ESHOJE não publicará comentários ofensivos, obscenos, racistas, que estimulem a violência, sejam contra a lei ou não correspondam ao assunto da reportagem. Consulte nossa Política de Privacidade.

               
                                                               
                       
  •                    
  •                    
  •                    
  •                                                                                            
  •                                        
  •                
               
               

0 comentários publicados

           

Quando e como contar que está grávida

                       
                             

           
teste de gravidezSemana passada fui agraciada com a notícia de que três amigas estão grávidas. Vibrei demais e comemorei muito. É sempre assim cada vez que sei que vem baby por aí. Não sei explicar muito bem, mas sinto a presença de Deus tão forte neste momento, mostrando que apesar de todas as dificuldades da maternidade, que contamos sempre por aqui, e todas as outras que enfrentamos diariamente, esse milagre da vida vem sempre renovar nossas esperanças de um mundo melhor ou pelo menos nossas forças pra lutar por isso, pois filhos sempre dão e darão essa vontade de melhorar tudo e todos, principalmente nós mesmos. Claro que cada um recebe a notícia de uma maneira, principalmente quando é com a gente e também escolhe a melhor forma e a hora de contar para todos. E é sobre isto que vou falar hoje.

Nessas três histórias diferentes, um fato foi semelhante, todas contaram logo que souberam, mesmo antes de fazer a primeira ultrassom. Para muitos, uma loucura, pois o ideal é esperar os tão temidos três meses. Muita gente opta por esta opção e entendo os motivos, mas também não vejo problema em sair gritando aos quatro cantos sua felicidade. Mas aí você pode pensar. Mas se a pessoa perde o bebê? Realmente, existe esse risco e não deve ser fácil sofrer um aborto e ainda ter que dar a notícia. Mas sinceramente, do mesmo jeito que os futuros papais dividiram a alegria com quem amam, vão dividir a tristeza também, afinal família e amigos são para isso. O importante é respeitar o jeito e a opção de cada um.

A seguir, conto pra vocês como soube da notícia de cada amiga e um pouco da história delas. De repente quem estava na dúvida, resolve tentar o primeiro ou o segundo, terceiro... E ainda, quem já sabe se inspira em como contar.

Duas delas aguardam o segundo filho. Planejaram o melhor momento para a vinda dos bebês, o que não significa que não sintam medos e insegurança. Mas como já falei por aqui, são completamente distintos do que sentimos na primeira gravidez, pois agora temos a real ideia do que nos aguarda, mesmo que seja tudo diferente, mais fácil ou mais difícil. Sabemos que o enxoval e o quarto do bebê são artigos completamente supérfluos perto do fato de cuidar de uma nova vida, além do mais já tendo outra pra dar conta.

Uma delas vai ganhar o novo baby quando o mais velho já tiver sete anos e como são meus vizinhos, recebi a notícia em primeira mão e foi emocionante. Estávamos em casa e do nada o irmão mais velho do novo bebê abriu a porta correndo, ofegante, feliz e gritando: “minha mãe tá tendo bebê, minha mãe tá tendo bebê”. Apesar do tempo verbal um pouco confuso, claro que entendemos o recado e foi uma festa só. Que coisa linda ver a felicidade dele ao saber que não seria mais filho único, meus olhos lacrimejaram, confesso. Em seguida, o meu filho mais velho, amigão dele, já quis saber se era menino ou menina para escolherem o nome. Ele disse que ainda não sabiam, mas que podiam deixar escolhido e pediu ajuda pra ele. Daí começaram a falar as opções, nomes dos power rangers e de vários outros desenhos, muito engraçado. Logo depois, a mamãe mandou uma foto do exame de farmácia pra gente pelo grupo do WhatsApp. Outra festa!

A segunda mamãe tem um filho que terá quatro anos quando o próximo chegar. Ela disse que sentiu que engravidaria no dia que fez o baby e foi batata. Tanto que com apenas um dia de atraso na menstruação, o papai ansioso comprou o teste na farmácia e bingo, baby a caminho. Ela também mandou a foto do teste pelo WhatsApp e em seguida, um vídeo que gravaram contando para o mais velho. Ele ficou muito feliz com a notícia e contou tudo que vai ensinar ao irmão, numa fofura sem fim. Delícia de ver. Ela me disse que a felicidade em descobrir que está grávida novamente é a mesma da primeira vez, mas agora o peso da responsabilidade é maior, exatamente pelo o que falei acima.

A última mamãe é de primeira viagem, não foi planejadinho como o das outras, na verdade foi um susto, que em seguida virou culpa por não ter se preparado direitinho para aquele momento e as lágrimas vieram. Mas após ver e ouvir o coraçãozinho batendo acelerado na primeira ultra, veio o alívio e o sentimento forte da maternidade e de curtir cada fase da gravidez. Ela contou da descoberta com a foto do exame de sangue, também pelo WhatsApp.

Dividindo essas três histórias com vocês, posso garantir três coisas. A primeira é que cada família tem seu momento e hora certa de ter um filho, independente de planejamento ou não, afinal, com a fé que eu tenho, sei que na verdade achamos que planejamos as coisas, mas se não for da vontade de Deus, nada acontecerá. A segunda é que cada um decide a melhor hora e maneira de dividir a novidade. E a terceira é: viva a tecnologia! WhatsApp e mídias sociais, usados cada vez mais em todos os momentos de nossas vidas, inclusive nos mais importantes. Até a próxima!
           Publicado em   |   Tags   |   Deixe um Comentário
               

Comentários

               

O ESHOJE não publicará comentários ofensivos, obscenos, racistas, que estimulem a violência, sejam contra a lei ou não correspondam ao assunto da reportagem. Consulte nossa Política de Privacidade.

               
                                                               
                       
  •                    
  •                    
  •                    
  •                                                                                            
  •                                        
  •                
               
               

0 comentários publicados

           

Pronta para ser mãe, na real?

                       
                             

           
fantasia de mãeDia 31 de outubro, o Dia das Bruxas ou o famoso Halloween, mais tradicional em países que falam inglês como Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, entre outros. Porém, no Brasil a festa já virou tradição em muitas escolas, principalmente nas de idiomas. Mas o que este dia tem a ver com a maternidade, assunto de nossa coluna? Tudo - a partir do momento que uma menina, norte-americana, se fantasia de mãe e sai em busca de doces ou travessuras!

A foto que ilustra a coluna é exatamente desta menina e viralizou na internet essa semana, principalmente em grupos e fanpages no Facebook e contas do Instagram que falam sobre maternidade. Você mesma deve ter visto. Muita gente criticou, achou um absurdo, mas a grande maioria riu e se reconheceu. Muitas mães se viram ali, representadas naquela foto. Notem que a menina tem olheiras enormes, de quem não dorme, está toda descabelada e com um rabo de cavalo, mostrando que pente é artigo de luxo. Ela veste um moletom, tipo, coloquei o que achei primeiro na minha frente.

Se fosse eu, certamente estaria de camisola, pois usei esse traje quase diariamente e o tempo todo por meses. Em seu ombro, uma super golfada, daquelas de jato, sabe como? E pra completar, um baby no colo e outro literalmente agarrado na perna, essa é a parte mais engraçada e desesperadora pra mim, só entende quem tem mais de um. Por fim, é rir pra não chorar.

Sinceramente, achei a foto uma sacada genial. Não sei qual era a intenção da mãe e se tinha uma, mas eu adorei. Para mim, ela representa bem a maternidade real, aquela que falamos sempre aqui e que é cheia de dificuldades e desafios diários. Mas, ainda tem gente que vende a ideia do conto de fadas e o pior, critica quem fala a verdade e não tem medo de se expor e dar a cara pra bater.

Já presenciei frases do tipo, “tadinha, vai assustá-la” e sempre respondi o seguinte. Se me perguntar, vai ouvir exatamente como acontece, nada mais do que isso. Acredito que se as futuras mamães fossem realmente preparadas e empoderadas para o que vão passar com a chegada de um filho, não sofreriam tanto com coisas tão simples como: “ele passou a noite toda acordada”, “ele chora sem parar”, “só se acalma no colo”, “quer mamar o tempo todo”. Mas o que você esperava? Aquele bebê dos filmes? Mama, dorme e sorri?

Ele até existe, mas não é o padrão. E mesmo esse bebê, vai te dar trabalho, vai te deixar cansada, vai te fazer chorar. Talvez você não fique como a menina da foto, mas sua vida mudará e pra sempre. Não dá pra voltar atrás, é outro mundo a partir do dia que você descobre a gravidez. Tudo muda o tempo todo. E muitas vezes nos sentimos uma bruxa mesmo, seja pela aparência assustadora ou pelas atitudes que nos vemos obrigadas a tomar. E quer saber? Aceita que dói menos.

Não fica tentando ter uma vida igual a que você tinha antes, isso é impossível. Suas prioridades são outras, sua rotina é outra e principalmente, você é outra. E o mais bacana disso tudo é que por pior que essa nova realidade possa parecer, você vai amá-la mais do que tudo e não vai trocá-la por nada nesse mundo. Existirá sim momentos de saudades e nostalgia da vida de antigamente, mas logo passam. Você vai reclamar muito quando estiver cansada, mas basta uma boa noite de sono para o humor voltar ao normal. A caminhada é dura meninas, mas totalmente recompensadora. Vamos juntas? Até a próxima!
           Publicado em   |   Tags   |   Deixe um Comentário
               

Comentários

               

O ESHOJE não publicará comentários ofensivos, obscenos, racistas, que estimulem a violência, sejam contra a lei ou não correspondam ao assunto da reportagem. Consulte nossa Política de Privacidade.

               
                                                               
                       
  •                    
  •                    
  •                    
  •                                                                                            
  •                                        
  •                
               
               

0 comentários publicados

           

Dia das crianças diferente e especial

                       
                             

           
filhos de graziSemana passada foi comemorado o dia das crianças aqui no Brasil. Para o comércio, uma excelente data para faturar um pouco mais. Nada contra, pelo contrário, acho justo. Não vou bancar a hipócrita e falar que não gosto de presentear meus filhos, pois eu adoro. Também não entrarei no mérito do consumismo exagerado, brinquedos assustadoramente caros, apesar de não concordar e não praticar por aqui. Vou falar das escolhas que fizemos para o dia das crianças e de como foi diferente e especial.
 
Após uma manhã e almoço em família, a parte da tarde foi dividida. Bernardo, meu mais velho, participou de uma oficina culinária pra lá de divertida e saborosa. Há tempos me pedia algo do tipo, pois além de ser fã do programa “Tem criança na cozinha”, está acostumado a ver o pai cozinhar, então pra ele é mais uma atividade como outra qualquer, até porque é, não é mesmo?

Chegando ao local, as crianças estavam super ansiosas para colocar a mão na massa, literalmente, já que o cardápio incluía pizza, além de cup cake, brigadeiro e suco de laranja. Foram logo vestindo seus aventais e chapéus de chef e escrevendo seus nomes pra identificar. Cada chefinho mais fofo que o outro. Foram quase quatro horas de diversão e ao final todos saborearam o que prepararam e ganharam um certificado e um livro com as receitas aprendidas. Eu experimentei o brigadeiro e estava divino, já posso contratar.

Meu filho amou a experiência, disse que quer ir nos próximos e o mais legal, pra quem torcia o nariz para suco de laranja, por conta dos gominhos, agora pede o tempo todo. Isso prova o que muitos nutricionistas vivem insistindo. Se a criança rejeita algum alimento ou tem dificuldade pra experimentar o novo, uma boa dica é preparar junto, certamente o interesse será despertado.

filhos de graziE enquanto o Bernardo se divertia cozinhando, o Henrique teve uma tarde rara com o papai e a mamãe só pra ele. Por ser o segundo, não vivenciou a exclusividade, usufrui de apenas alguns momentos e posso garantir que ele amou. Fez questão de andar de mãos dadas com nós dois, pra aproveitar bastante mesmo.

Pelo fato do clima não está muito propício para atividades ao ar livre, fomos visitar uma exposição de animais marinhos em um shopping. Muitas esculturas pareciam dinossauros, eram descendentes pelo o que dizia na explicação e, claro, ele amou, afinal é apaixonado pelos jurássicos. Íamos passando e ele falando o nome de cada bicho: baleia, tubarão, peixinho e dinossauro...

Ao final do dia, família reunida novamente para mais diversão. Hora de contar as experiências um para o outro. Só posso dizer que apesar de cansativo, valeu a pena demais. Todos aproveitaram muito o que fizeram e se divertiram até. Tem coisa mais gostosa e importante pra fazer num dia que é só delas? Até a próxima!
           Publicado em   |   Tags   |   Deixe um Comentário
               

Comentários

               

O ESHOJE não publicará comentários ofensivos, obscenos, racistas, que estimulem a violência, sejam contra a lei ou não correspondam ao assunto da reportagem. Consulte nossa Política de Privacidade.

               
                                                               
                       
  •                    
  •                    
  •                    
  •                                                                                            
  •                                        
  •                
               
               

1 comentários publicados


  • 26/10 às 23:50
    Sinara disse:

    Que máximo Graxi...tenho certezas q essas experiências durarão muito mais na memória do que qualquer brinquedo milionário!! Bjo


               

<<  %pagina%  >>


Mais lidas
Facebook


ESHOJE © 2012, Todos os direitos reservados Anuncie   •   Fale Conosco